downloadCaros(as) amigos(as) da B'naiB'rith

Boa noite à todos !

Atendendoao convite do nosso querido amigo Abraham Goldstein envio aqui a minha mensagempara esta noite de 9 de novembro que exige muito mais que algumas horas derememoração: exige reflexão e ação por parte de todos nós (judeus e não judeus)preocupados com o futuro das novas gerações.

Ostestemunhos têm demonstrado que a  "Noite dosCristais" (Kristallnacht) – registrada entre 9-10 de novembro de 1938 -  foi um marco na história da Alemanhae da Áustria, assim como do povo judeu tratado como pária pelo regimenacional-socialista. Alem da destruição dos símbolos judaicos, a violênciaocorrida naquela noite (que se estendeu por vários dias) foi também o prenúnciode uma catástrofe muito maior que ainda estava por vir: a Solução Final para a Questão Judaica que colocou em descrédito ovalor da vida e da capacidade do homem em distinguir o Bem do Mal.

O fato de estarmos reunidos nesta noite com o objetivo de "lembrar para não esquecer", demonstraque a "ideologia do esquecimento e do negacionismo" ainda coloca em risco amemória do Holocausto. Ao mesmo tempo, constatamos que sinagogas na França e naBélgica foram recentemente pixadas e/ou queimadas. As suásticas voltaram comomarca do neonazismo e do antissemitismo, assombrando as comunidades judaicas espalhadaspelo mundo. Atos como estes demontram que a (des)razão não morreu com Hitler; eque o antissemitismo, infelizmente, não foi expurgado do mundo contemporâneo enquantofenômeno social e político.

Os sons das vidraças estilhaçadas na Noite dos Cristais já não podem ser ouvidos;  e dentro de poucos anos, não teremos maissobreviventes do Holocausto para narrar o ocorrido. Daí a importância do  registro destes testemunhos em caráter emergencial;daí a necessidade da criação de políticas educativas de combate a intolerância,em todas as suas dimensões, pois massacres e genocídios continuam a estilhaçarvidraças, a  agredir  patrimônios e a colocar em risco milhares de vidashumanas. Lembrar é tão importante quanto "ensinara lembrar"; daí  insistirmos na educaçãoenquanto estratégia de combate e resistência ao racismo no mundo contemporâneo.

Que os sons simbólicos da Noitedos Cristais rememorados nesta data, sirvam para o despertar da memóriadeste mundo que continua surdo e cego diante da persistência do antisemitismo mascarado de outros "ismos".  Que esta noite instigue os jovens a criar ummundo novo para seus filhos e netos, para alem de uma noite de nostalgia.

Maria Luiza Tucci Carneiro

Coordenadora do Projeto Arqshoah/LEER

Universidade de São Paulo