> Arquivo

Tradução: "O perigo de desnacionalização dos poloneses no Brasil" [Anexo]

RG:
ARQ/1440

Ficha:
1346

Data:
1938

Arquivo:
1546

Orgão emissor:
Legacao do Brasil em Varsovia

De:
Irene Benderska

Cargo:
Interprete da Legacao do Brasil em Varsovia

Tipologia:
Traducao

Classificação:
Ostensivo

Cidade:
Varsovia

País:
Polonia

Idioma:
Portugues

Número de páginas:
3

Síntese:

Tradução de artigo em polonês.

1. O autor do artigo escreve sobre o "golpe de estado palaciano" de Getúlio Vargas. Coloca que a intenção deste é de unificar o país, que até então era regido pelo sistema federativo, e nacionalizar a população composta não apenas por portugueses, mas pessoas de outra nacionalidades, inclusive a polonesa. [p.1]

2. Os poloneses tinham como estado principal o Paraná, sendo a maior parte de agricultores. [p.1]

3. A vitória de Vargas se dá como a vitória de um regime anticomunista e nacionalista, ideais simpatizados pelos poloneses. Porém, receiam sobre o futuro dos poloneses no Brasil. [p.1]

4. A inquietação dos poloneses foi confirmada com a correspondência de Curitiba publicada no "Correio de Varsóvia". O autor escreve que o interventor do Paraná, Manoel Ribas, soltou um decreto em que coloca a nacionalização das escolas, estas devem ser registradas e os professores brasileiros [p.1] natos ou naturalizados e as aulas ministradas em português. Não atendo estas condições, a escola deve ser fechada. Os estudantes poloneses serão, assim, prejudicados. Os estrangeiros que dificultarem a nacionalização do país serão considerados como indesejáveis. "Não duvidamos que os brasileiros saberão cumprir o que dizem". [p.2]

5. A eliminação do ensino polonês é um perigo para os mesmos no Paraná. [p.2]

6. Assim, conhecendo a situação atual, espera que o governo polonês dê os pasos devidos para defender a população polonesa contra a sua desnaionalização. [p.2]

7. Portanto é preciso encarar seriamente a questão. [p.2]

8. Como a população polonesa cresce anualmente em 500 mil pessoas, são obrigados a manter um corrente emigratória mais ou menos intensa. As idéias nacionalistas crescem pelo mundo, assim, o autor do documento, [p.2] conclui que os emigrantes apenas poderão conservar sua nacionalidade, se forem para territórios que sejam politicamente "dirigidos pela propria patria a que pertencerem". [p.3]

9. Os poloneses perderam a nacionalidade nos Estados Unidos e no Brasil. Acredita que isso acontecerá em outros países. [p.3]

10. Conclui que a Polônia deve possuir colônias próprias. "A nossa unica preoccupação não deve ser expulsar os judeus, dispendendo esforços a procura de terra onde elles se possa estabelecer. Devemos tambem pensar em obter colonias para a população puramente poloneza". [p.3]

11. Segundo a tradução do documento, a obtenção de colônias é possível pois a situação internacional é favorável, já que "varias grandes potencias estão exigindo a divisão dos territorios ultramarinos, possessões dos paizes europeus". [p.3]

12. "Os allemães reclamam colonias e têm probabilidade de as receber á custa da Grã-Bretanha e da França. Os italianos crearam um imperio colonial. Accusando, como aa duas nações precedentes, forte crescimento de população, a Polonia tem direito, como ellas, a possuir colonias que sirvam de escoadouro para o excesso de sua população. O problema colonial pra o nosso paiz é perfeitamene actual e relevante, e não uma chimera como suppõem certos meios polonezes". [p.3]

Observação:

- Anexo ao ofício nº 8, de 3 de Fevereiro de 1938.

Pessoas Citadas:

I. K. Jancewski; Manoel Ribas, Interventor do Paraná; Inspetor Veloso; Capitão Pereira.

Palavras Chave:

desnacionalizacao; Polonia; traducao.

Imagens Relacionadas:

Ficha-1346-001 Ficha-1346-002 Ficha-1346-003