> Justos e Salvadores

DANTAS, Luiz Martins de Souza

RG:
JUS/3

Ficha:
3

Data de Nascimento:
17/2/1876 

Data de Falecimento:
16/04/1954

Filiação:
Manuel Pinto de Souza Dantas Filho e Maria Luiza Martins de Souza Dantas

Nacionalidade:
Brasileiro

Naturalidade:
Rio de Janeiro 

País:
Brasil

Religião:
Catolico

Profissão:
Diplomata

Instituição/Associação:
Ministerio das Relacoes Exteriores do Brasil - Itamaraty.

Cargo / Função:
Embaixador do Brasil em Paris - Vichy

Tempo de exercício:
1922 a 1944 

Relação de pessoas:

ACH, Bertha. n. Lindheimer; ALTER, Leon Vel Leib; AMIROVA, Helena; BANASKIWITZ, Daniel (Gaston Robert); BANASKIWITZ, Gerhard Otto; BANASKIWITZ, Simonne Henriete. n. Conin; BARD, Wadislau; BAUMANN, Andree Rene; BAUMANN, Claudie; BAUMANN, Erna Sara; BAUMANN, Gerard; BAUMANN, Julius Israel; BAUMANN, Margot; BAUMANN, Nicole; BAUMANN, Simone; BEMSKI, Jadwiga. n. Floksztrumpf.; BEMSKI, Jerzy (George); BEMSKI, Michal (Michel); BENDER, Família; BERGHAUER, David; BERGHAUER, Henry; BERGHAUER, Helene; BERGHAUER, Beatriz; BERGHAUER, Sara; BERKOWITZ , Alain Max; BERKOWITZ, Leon Max (Leo); BERKOWITZ, Lilly. n. Isipovici; BERNHEIM, Cecile; BERNHEIM, Evelyne; BERNHEIM, Georges Samuel; BERNHEIM, Hubert (Jacques); BERNHEIM, Jean François; BERNHEIM, Lucien Gerard; BERNHEIM, Marcel Leon; BERNHEIM, Rose. n. Frank; BERNHEIM, Simone (Sara); BESTERMAN, Krystina Wlakawa Stefania; BESTERMAN, Wlacav; BEURÉ, Camille; BEURÉ, Sonya; BLAD, George; BLAD, Berthe n. Graenbaun; BLAD, Olga; BOBROWSKI, Adam; BOBROWSKI, Paula; BOGLAR, Ladislau (Laszló); BRION, Gaston; BRODSKY, Olga; BUSTAMANTE, Alfredo; CAPLAN, Felix; CAPLAN, Jean; CAPLAN, Robert; CAPLAN, Sara.n. Korzec.; CAPLAN, Simon; CASTELLI, Leo Krauss; CASTELLI, Ileana Krauss; CASTELLI, Julia Krauss; ; CHARVAT, Marie Straniková; CHARVAT, Jean Paul (Jam Pavel) Georges; CHARVAT, Vaclav; CHELMINIAK, Wladislaw; CHERSCOVICI, Volf; CHEYSSON, Esposa; CHEYSSON, Pierre; CORNEA, filha nº 1; CORNEA, filha nº 2; CORNEA, Josef; CORNEA, Mathilde; COUZINET, Gilbert. n. Charzottes; COUZINET, Rene Alexandre Arthur; CZERMANSKI, Janina. n. Ebersvalde; CZERMANSKI, Zdzlislaw; DANCZ, Etienne; DEMANT, Herma Molterer; DEMANT, Victor; DEMONE, Regis François; DERNSTEIN, Margot; DHOME, Alfred; DIKSZTEJN, Ester; DIKSZTEJN, Maria; DIKSZTEJN, Ryfka; DREYFUS, Alice. n. Bernheim; DREYFUS, Jacqueline Suzanne; DREYFUS, Paul André; DUBUS, André Charles Emile; DYKSTAJ(Y)N, Bernard; DYKSTAJN, Gitla; DYKSTAJN, Joseph; EHRENBACHER (Ehrenbacker), Robert; FAY, Paulina Antoinette Josephine; FEDER, Suzanne-Margot Ehrenbach. n. Bernstein; FEDER, Erna. n. Zobel; FEDER, Ernest; FEDER, Erwin (Erwyn); FEIGL, Fritz (Israel); FEIGL, Hans Ernest (Israel); FEIGL, Regine (Reynia, Rewka); FINKEL, Elisabeth; FINKEL, Isaac; FINKEL, Joseline; FISCH, Fanny (Sara). n. Gruber; FISH, Otto (Israel); FISCHEL, Julius; FISCHEL, Olga; FISCHER, Madeleine. n. Coquelle; FISCHER, Marcel; FISCHER, Max Chevallier; FISH, Família; FORELL, Lisbeth; FORELL, Marketa. n. Fischel; FORELL, Otto; FOREST-DIVEN, Aynard de La; FRANKENHUIS, Caroline Rosalie Margot. n. Weitt; FRANKENHUIS, Jean Pierre Maurice; FRANKENHUIS, (René) Werner; FREIER, Chaim Karl; FREIER, Gideon Erich; FREIER, Joséf Sérgio; FREIER, Sara Lola; GIGNOUX, Aline; GIGNOUX, Marthe (n. Heutschel); GIGNOUX, Michel; GIGNOUX, Paul; GLASBERG, Henri; GLOGOWSKI, Anna; GLOGOWSKI, Heleny (a); GLOGOWSKI, Marjan Ryszard; GLOGOWSKI, Samuel; GLUCK, Jean; GLUCK, Mihail; GLUCK, Sylvia; GOLDBERGER, filho; GOLBERGER, Giovanna. n. Lowinger; GOLBERGER, Michele; GOLDFARB, Lejb Leopold; GOLDFARB, Nina; GOLDRING, Ida. n. Rubinstein; GOLDRING, Max Mendel; GOLDSTEINOVA, Anna; GRANDIN, Max Leon; GREIZERSTEIN; Jeanne Lerner; GREIZERSTEIN; Sylvie; GREJZERSTEIN; Salomon; GROS, Andre Paul Adolphe; GROSBAUM, Simon; GROSSMAN, Filho; GROSSMAN, Helena; GROSSMAN, Rudolf; GRYNKRAUT, Binen; GRYNKRAUT, Regina. n. Strymban; GUEBRIANT, Jean Budes de.; GUNZBURG, Niko; GYGIELSKI, Leon; GZWALBE, Genia; HAAN, Família; HAMBURGO, Karel; HAMMERSHMID, Oswald; HANDLER, Israel Josef; HANDLER, Marguerite; HANDLER, Regina; HANDLER-OVÁ, Sophie; HARCAVI, Georges Patrick; HARTOCH, Wladyslaw Werner; HEJMAN (HEYMAN), Krystina Karolina. n. Dauman; HEJMAN, Sigiemond (Zigmunt); HENDLER, Marguerite; HERMANN, Anna. n. Goldsteinova; HERMANN, Arnost; HERRMANN, Felix; HERSZKOWICZ, Hana; HERSZKOWICZ, Kajla; HERSZKOWICZ, Wolf; HIRSCH, Madeleine Levy; HIRSCH, Claude; HIRSCH, Estelle; HIRSCH, Helene Jawschitz; HIRSCH, Jules; HIRSCH, Lucien; HIRSCH, Monique; HIRSCH, Yvan; HIRSCHOWICZ, Erwin; HIRSCHOWICZ, Maria; HISCHINE, Malvina. n. Tzygel; HISCHINE, Zenaide; HUDES, Ludwika; HUDES, Tadeuesz; IZRAEL-MALKIEL, Isaac; IWENICKI, Jeanne; IWENICKI, Joseph; IWENICKI, Rachel; JANOWSKI, Jan; JAWSCHITZ (Jawiskitz), Ruth; JORDAN, Helena; JOSEPH, Claude Jacques Gustave; JOUVET, Luiz Jules; JUSTITZ, Julius; KAGANOV(W), Adolf; KAMENCTZKI, Bernard; KAUFER, Irma; KAUFMAN, Klara; KAUFMANN, André Philip; KAUFMANN, Helene Pauline Martens; KAUFMANN, Otto Erich; KAUFMANN, Pierre; KAUFMANN, Sigmar; KEM, Halina Wayslawa; KLAUSNER, Emmy (Sara); KLAUSNER, Heinrich (Israel); KLEIN, Emmanuel; KLEIN, François; KLEPFISCH, Betty; KLINGER, Elise; KLINGER, Goza; KLINGER, Marie; KOBYLANSKI, Tadeusz; KORENE (KORETZKY), Vera; KOSTMAN, Aron Ben Shraga; KOSTMAN, Feiwl; KOSTMAN, Jehoschua; KOSTMAN, Manfred (Mozes); KOSTMAN, Nechume Wolf; KOSTMAN, Sulamith; KOSTMAN, Toni; KOWALERK, Alina; KOWARSKI, Adele Ots; KOWARSKI, Leon; KOWARSKI, Marie (Marta); KOWARSKI, Lazar; KRANC, Czeslava; KRANC, Michal; KRANC, Piotr Pawel (ou Pierre Paul Cranc); KRESCH, Naftali Mendel; KRESCH, Rachel Lea. n. Löwenbraun.; KRIEGER, Isiel; KRIEGER, Tauba; KRUMHOLZ, Edyta. (Elysa). n. Weinheher; KRUMHOLZ, Pavel (Ravel); LANGLEBEN, Michal; LAPARA, Léopold Joseph; LARROSSA, Antonio Rodrigues; LE LORRAIN, Georges Paul; LEHMANN, Annie; LEHMANN, Berthe; LEHMANN, Emile; LEHMANN, Ernst Efraim; LEHMANN,Grete Sara; LEHMANN, Josef Israel; LEHMANN, Leo; LEHMANN, Michele; LEHMANN, Rosi Sara; LEHRDITSENGER, família.; LEHRER, Abraham Chaskiel; LEVY, Ernesto (e sua família); LEWINSOHN, Richard; LICHTENBERG, Juliusz; LICHTENBERG, Regina; LOEB, Alice Bauer; LOEB, Leopold; LOEB, Paul (Israel); LOWENTAL, Sigismund; LOWENTAL, Wilhelmine; LOWCZY, Basia; LOWCZY, Jenny; LUNINOFF, Nicolas; LUKSIK, Ignacy Marian; LUKSIK, Maria Stanislawa; MAFFRE, Elvire (Eloise/ Eloire); MAFFRE, Roger Louis. Db 21/3/1941, 42 anos, francês, diplomata, só, VDVichy n. 24 (?); MAILLET, Fernand Marie Joseph Jean; MAJZELS, Benjamin; MAJZELS, Betty; MALCZEWSKI, Rafal; MALCZEWSKI, Zofia. n Jakubowska; MANDELBAUM, Josef; MANHEIN, Ivonne. n. Hutier; MANHEIN, Jean Paul; MANHEIN, Raoul Jacques; MAS, Georges Claude; MATHÉ, Zbigniew Bitner; MAYER, Ida Sara; MESSER, Adolph; MESSER, Jeanne Marie, (Suzanne). n. Jeauneau; MEYER, Charlote Minna Sara; MEYER, Willy; MIEOZYSTAW, Krol Jan; MOCSANYI, Peter (Pedro); MONMAYON, Roger; MOREL, Gerard Herver (Henri); MOREL, Maria Elisa; MORITZ, Armand Henri; MORITZ, Ernest; MORITZ, Hella; MORITZ, Margot; MOUCHOTTE, Joseph; MOUCHOTTE, Simone; MUHLRAD, Cecile. n. Lernere; MUHLRAD, Chone; MUHLRAD, Silvia (Sylvie); MUKDEN, Arnost; NESVIGINSKY, Anatolis; ODESSER, Josef; ODESSER, Mery; OFICJALSKI, Jan; OMBREDANE, André; OMBREDANE, Marie Claude; OMSTEIN, Oskar; PAIM, Etel. n. Stotter; PAIM, Jakub; PAIM, Leo; PAIM, Manfred; PERHIRIN, Paulo Joseph; PERHIRIN, Marie. n. Christophe; PERLMAN, Max; PEVSNER, Aron; PEVSNER, Elisa Julietta Hennebo; PIERRE, Cheysson; PIOTROWSKI, Waclaw; PLESSNER, Edyta. n. Knoll; PLESSNER, Henryk; PLESSNER, Sara; POIRER, Lucien Adrien Henri René; POIRER, Jacqueline; POIRER, Jean Marie; POIRER, Jean Marie Mellot; PRASEOWASKY (PRASCOVSKY), Elisabeth de.; PUCHALA, Ignacy Kazimierz; RADZVISKI, Olgierd; RADZYWISKI, Hildegarda Niktin; RADZYWISKI, Lech; REOBITSCHEK, Hedvika; REOBITSCHEK, Josef; REOBITSCHEK, Libuse de; REULLAN, Claude; ROHATYN, Feliks Jerzy; ROLLMAN, Charlotte; ROLLMAN, Nathan; ROTH, Eugene; ROZEMBERG, Abraham; ROZEMBERG, Erich; ROZEMBERG, Gestrudis; ROZEMBERG, Sara Ryfka; ROZENOWICZ, Cecilya. n. Briant; ROZENOWICZ, Josef; RUBEL, André Adalbert; RUBEL, Phillippe; RUBEL, Simone Rubel Bleriot; RUBEL, Stephane; RUBINSZTAJN, Eva; RUBINSZTAJN, Stanislaw; RUDECKI (Kudecki?), Izidor; RUDECKI, Jana; RUTH, Regine; SAFIR, Hella; SAFIR, Julius; SAFIR, Manfred; SANDZER, Benjamin; SANDZER, Fradla; SANDZER, Jeorges; SCEMAMA, Alain; SCEMAMA, André; SCEMAMA, Ivette. n. Ach; SCHACHMANN, Enze; SCHACHMANN, Renée Enize; SCHAKEWITZ, Josephine; SCHIFF, Chaja Mirla; SCHIFF, Joseff; SCHULMANN, Gaston; SCHWARTZ, Fryderyk; SCHWARZENBERGER, Berta. n Kirschheimer; SCHWARZENBERGER, Heinrich; SIWENTY, família; SIWILLO, Franciszek; SLESSNER, Sara; SNEJERS, Zalamans; STERN, Josef; STERN, Marguerite. n. Foucher; STEUERMAN, Louis; STEURMAN, Marcel; STIEGLITZ, Alicja; STIEGLITZ, Halina; STIEGLITZ, Iolanda; STIEGLITZ, Jakub; STIEGLITZ, Salomea; STIEL, Berta; STIEL, Estelle Hirsch; STIEL, Julius; STIEL, Nadia; STIEL, Sonia; STILL, Bernhard; STILL, Cheim; STOURME, Cécile de L'Orza de Montorzo; SOURME, filho nº 1; SOURME, filho nº 2; SOURME, filho nº 3; STRAVOTSCHINKY, David; STROVOSKI, Fortunat; STROWSKI, Germaine Marie Jeanne; STROZENBERG, Chana; STROZENBERG, Fanny; STROZENBERG, Frida. n. Wolkowiez; STROZENBERG, Lajb; STROZENBERG, Lily; STROZENBERG, Malvine; STROZENBERG, Marleine; STROZENBERG,Moszek Icek; STROZENBERG, Nuta; STROZENBERG, Rachel; STROZENBERG, Solomon; STYPIÑSKA, Ireña Olimpya; SZAFIR, Nikedam (Nikodeni); SZCZUKA, Krystyna; SZULWAS, Dawid;SZW ALBE, Genia. n. Hamon; SZW ALBE, Samuel; SZWARC, Felice; SZWARC, Wilhelm; SZYFRE, Frankel; TABAKMANN, Ovshei; TAIZLINE, Eugene; TAIZLINE, ; TAIZLINE, Moissei; TAIZLINE, Raissa; TAIZLINE, Tamara. n. Prascovsky; TORONYI, Família; VANGELDER, Estella da Costa Senior; VANSTEIN, Boi; VANSTEIN, Isai; VANSTEIN, Nicolas Georges Eugene; VANSTEIN, Sra.; VEIDLICHS, Freida; VERRIER, Madeleine Le; VOLF, Cherscovici; WALLACH, Simon; WEILL, Andrée. n. Spira; WEILL, Anne Franceise; WEILL, Danielle; WEILL, Danielle; WEILL, Kurt; WEILL, Rachel Jacoba da Costa Senior; WEILL, René; WILOZEK, Jacob; WISNIA, Abraham; WISNIA, Dora. n. Stern; WITTELS, Alfons; WITTELS, Jacob; WOJCIECHOWSKI, Bogumil; WOJNAROWSKA, Natalia; WOLKOWICZ, Ara; WOLKOWICZ, Charles; WOLKOWICZ, Jerome; WOLKOWICZ, Wictor; WURMSER, René Bernard; WURMSER, Sabine Theodora; ZABLUDOWSKI, Nicolas; ZALAMANS, Snejers; ZAMOYSKA, Elzpiete Maria Bianka; ZANDEL, Adolf; ZENTNER, Tibor; ZIEMBINSKI, Zbigniew Marian; ZIMETBAUM, Izak; ZIMETBAUM, Lejzor Jakob; ZIMETBAUM, Ittel. n. Lowy; ZIMETBAUM, Lydia; ZIMETBAUM, Maurice; ZIMETBAUM, Raphael; ZIMETBAUM, Regina Ruth; ZIMETBAUM, Zofja n. Butthner; ZINNER, Hans (Israel); ZINNER, Irina; ZINNER, Irma; ZIOLKOWSKA, Bozena; ZIOLKOWSKA, Weronika; ZLOTNIK (Zlemtnik), Abraham Icchok.

Imprensa:

"Souza Dantas, um "Justo" brasileiro". Morashá. SP. n° 49, 2005 (junho). Edição on-line.Mauricio Stycer, "A Lista de Souza Dantas". Carta Capital. São Paulo, setembro, 2002, pp. 12-18.Helena Lewin. "Justos em Salvadores em tempos Sombrios". Comunicação apresentada nas Jornadas Interdisciplinares sobre a História e o Ensino do Holocausto. São Paulo, Curitiba e Porto Alegre, 2009. 

Bibliografia:

KOIFMAN, Fabio. Quixote nas Trevas. Rio de Janeiro: Record. 2002.CARNEIRO, Maria Luiza Tucci. O Anti-Semitismo na Era Vargas. 3ed. São Paul: Perspectiva. 2001.

História de vida:

O brasileiro e diplomata Luiz Martins de Souza Dantas (1876-1954) foi honrado em 2 de junho de 2003 como um dos "Justos entre as Nações", título que lhe foi outorgado pelo Instituto Yad Vashem, de Israel.Aos dezoito anos Luiz Martins de Souza Dantas bacharelou-se em Ciências e Letras no Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. Após concluir os estudos de Direito na Faculdade Livre de Ciências Jurídicas e Sociais do Rio de Janeiro aos 21 anos, ingressou no Ministério das Relações Exteriores já no período republicano, preenchendo os principais pré-requisitos necessários para ali atuar, com destaque para a tradição política de seu sobrenome. Herdeiro político da ala liberal monarquista no Brasil, Souza Dantas assumiu cargos da carreira diplomática e serviu em diversas capitais do mundo. Aos 20 anos, com menos de um mês de formado, em 23 de janeiro de 1897, foi nomeado adido de legação em Berna, na Suiça, recebendo uma ajuda de custo pelo cargo.Após uma licença sem vencimentos entre 1898 e 1899 foi nomeado em 16 de março de 1900, Segundo-Secretário em São Petesburgo, assumindo o posto em 20 de junho. No mesmo ano, em 26 de dezembro, assumiu a chefia da Legação brasileira enquanto encarregado de negócios na então capital russa até maio de 1901. Em San Petesburgo, Souza Dantas atuou até 1º de março de 1902, sendo removido da Rússia para Roma. Foi promovido a Primeiro-Secretário em 9 de maio de 1908. Na Argentina, assumiu posto em Buenos Aires em 19 de setembro de 1908 e 11 de abril de 1909, pois foi chamado a serviço do Ministério das Relações do Brasil no intervalo entre 12 de fevereiro e abril de 1909. Em 10 de outubro de 1910, o Barão do Rio Branco, então Ministro das Relações Exteriores, assinou uma portaria nomeando Souza Dantas como Conselheiro da Legação do Brasil na capital argentina. Em 3 de novembro tornou-se Encarregado de Negócios junto ao governo argentino e em 11 de junho de 1912 foi promovido a ministro residente na Turquia, posto que não chegou a assumir. Retornou à Argentina em 12 de março de 1913 como enviado extraordinário, nomeado por decreto para Buenos Aires no posto de Ministro Plenipotenciário. No final do ano de 1915, Souza Dantas foi nomeado representante do Brasil para assistir à posse do novo presidente do Chile, Juan Luis Sanfuentes.Em 1916, durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), Souza Dantas foi nomeado ministro interino das Relações Exteriores e durante alguns meses respondeu pelo Itamaraty. Chegou ao posto de embaixador em 1º de dezembro de 1919, quando passou a chefiar a representação brasileira em Roma. Em 17 de novembro de 1922, Souza Dantas foi nomeado embaixador do Brasil na França, cargo em que permaneceria até 1944. Entre 1924 e 1926, durante alguns períodos, foi também o representante do governo brasileiro na Liga das Nações - órgão que reunia representantes de vários países com o intuito de zelar pela paz mundial baseada na negociação e no entendimento cordial entre as nações. Em 1931, já era o decano do corpo diplomático em Paris, ou seja, o embaixador há mais tempo em atividade na capital francesa. Souza Dantas se casou com Elise Meyer Stern, cuja família era de origem judaica, em 30 de setembro de 1933, tendo permanecido solteiro até os 57 anos. A cerimônia seguiu o rito católico.Em 1940, com a iminência da invasão alemã no Norte da França, o governo francês se retirou para o Sul, instalando um governo colaboracionista na cidade de Vichy. Naturalmente, o corpo diplomático estrangeiro o acompanhou. Registros dessa época mostram que Souza Dantas já vinha intercedendo em favor de refugiados do nazismo desde a sua saída de Paris. É possível comprovar o envolvimento pessoal e direto do embaixador, que começou a emitir os primeiros vistos diplomáticos "irregulares" de próprio punho. A maioria desses documentos foi concedida em Vichy e beneficiava não apenas judeus, mas também homossexuais, comunistas e qualquer pessoa ameaçada pelo nazismo. No entanto, de acordo com a legislação vigente na época, era raro um embaixador conceder pessoalmente um visto, e isto só costumava ser feito em casos excepcionais. Para um "indesejável" receber um visto - mesmo o que se encaixava nas poucas exceções preestabelecidas -, era necessário apresentar uma série de documentos, como atestados negativos de antecedentes criminais, de "não ser de conduta nociva à ordem pública", de saúde e prova de profissão lícita, entre outros. Era muito difícil conseguir estas declarações, principalmente para os refugiados que se encontravam longe de seus países de origem. A autoridade consular brasileira que emitia o visto, por sua vez, tinha a obrigação de informar a "origem étnica" do estrangeiro.Uma grande quantidade de pessoas que requeriam vistos era apátrida, portadoras de passaportes "Nansen" - fornecidos pela Liga das Nações para indivíduos expatriados por causa de problemas políticos. Outras não possuíam qualquer tipo de documento para viajar. Algumas provinham de países que se encontravam tecnicamente extintos naquele momento devido aos conflitos ou cujos governos não os reconheciam mais como cidadãos. A exigência de uma série de documentos e certidões dos imigrantes tinha, na realidade, a função de impedir a entrada de refugiados no Brasil. No dia em que Souza Dantas deixou Paris rumo a Vichy, já no caminho, ao passar por cidades como Perpignan e Bordeaux, começou a assinar passaportes e documentos de viagem de estrangeiros, a maioria refugiados. Não eram pessoas "especiais" ou "importantes", mas gente comum. Ele não seguiu nenhuma regra do governo brasileiro, não exigiu taxas, transferências bancárias, declarações ou atestados, e tampouco perguntou ou informou a alguém a origem étnica dos pretendentes. Mais de 400 vistos diplomáticos foram emitidos entre meados de junho de 1940 e 12 de dezembro do mesmo ano - data em que Souza Dantas foi proibido formalmente de conceder qualquer tipo de visto.Entretanto, de acordo com depoimentos, muitos refugiados estiveram com o embaixador nos primeiros meses de 1941 e receberam vistos com datas anteriores a 12 de dezembro de 1940. Ou seja, ele ainda concedeu alguns vistos, mesmo depois de ter sido repreendido e proibido atravé da Circular 1.498 assinada por Oswaldo Aranha que determinava categoricamente a suspensão de quaisquer tipos de vistos aos israelitas e seus descendentes. Souza Dantas se expôs a risco pessoal tendo em vista a irregularidade com que emitia os vistos que tinham como objetivo principal possibilitar a saída imediata dos refugiados do nazismo da Europa. Em 11 de outubro de 1941 o presidente Getúlio Vargas ordenou a instauração de um inquérito administrativo contra o embaixador. Este inquérito teve como fator determinante a insistência dos passageiros do vapor de bandeira francesa, o "Alsina", em seguir para o Brasil. Foi através deste evento que Souza Dantas se viu envolvido de forma inquestionável aos olhos do governo brasileiro, na questão da saída de refugiados judeus da Europa, uma vez que havia envidado esforços para a revalidação de diversos vistos de passageiros daquele vapor . Souza Dantas não foi penalizado por razão técnica: sua condição de aposentado na época.Por causa da presença de soldados brasileiros na guerra, das notícias da resistência de Souza Dantas à invasão da embaixada em Vichy e de seu longo internamento na Alemanha, os jornais brasileiros passaram a tratá-lo como herói. Mas a transformação do diplomata processado pelo governo em herói não agradou ao ditador Vargas. Rapidamente, as notícias de homenagens a Souza Dantas sumiram da mídia, então controlada rigidamente pelo Estado. Enquanto durou o Estado Novo, Getulio tratou de manter o diplomata fora de evidência no Brasil. Com a queda da ditadura em 1945, o velho embaixador saiu do ostracismo graças à influência política de antigos companheiros do Itamaraty. Já aposentado, Souza Dantas foi convidado pelo Ministério das Relações Exteriores para chefiar a delegação brasileira na Primeira Assembléia Geral das Nações Unidas, em Londres, entre 10 de janeiro e 14 de fevereiro de 1946. O embaixador foi o primeiro brasileiro a discursar neste órgão precursor da ONU. Em 18 de julho de 1946 Souza Dantas recebeu, no Palácio da Presidência no Rio de Janeiro, sua nomeação oficial de delegado plenipotenciário do Brasil à Conferência da Paz em Paris. Souza Dantas passou seus últimos anos de vida em Paris, onde adoeceu e sofreu algumas cirurgias, falecendo aos 78 anos, em 16 de abril de 1954, mesmo ano da morte de Getúlio Vargas.Segundo o biógrafo de Souza Dantas, o historiador Fábio Koifman, embora Getúlio Vargas e seus colaboradores procuraram legar às gerações futuras uma memória seletiva e controlada do embaixador, o acesso irrestrito dos pesquisadores aos arquivos ministeriais da década de 1940 permitiu que a memória do embaixador pudesse ser reconstruída. Diante dos testemunhos e das pesquisas em torno de uma história de ação solidária em 1º de junho de 2003 o diplomata foi reconhecido pelo Yad Vashem e declarado Justo entre as Nações por suas ações no salvamento de judeus perseguidos pelo nazismo durante o Holocausto.

Palavras chave:

Alemanha; antissemitismo; apatrida; barao do Rio Branco; Buenos Aires; Brasil; circular 1.498; comunista; Conferencia da Paz; diplomata; embaixada; Estado Novo; estrangeiro; Europa; Franca; Getulio Vargas; Holocausto; homossexual; "indesejavel"; inquerito administrativo; israelita; Itamaraty; judeu; justo; Liga das Nacoes; Ministerio das Relacoes Exteriores; Nacoes Unidas; Nansen; nazismo; ONU; Oswaldo Aranha; Paris; passaporte; Primeira Guerra Mundial (1914-1918); refugiado; Roma; Sao Petesburgo; semita; Suica; Turquia; vapor "Alsina"; Vichy; visto; Yad Vashem.