Coordenação Geral: Profa. Dra. Maria Luiza Tucci Carneiro

Coordenação de História Oral: Profa. Dra. Rachel Mizrahi

 

Equipe São Paulo

Coordenação de pesquisa: Profa. Dra. Maria Luiza Tucci Carneiro

Coordenação de História Oral: Profa. Dra. Rachel Mizrahi

Vídeos/Câmeras: Laís Rigatto Cadilo, Raissa Alonso e Beatriz Issler

Entrevistadoras/Contatos: Rachel Mizrahi, Sarita Mucinic Sarue e Profa. Tucci Carneiro

Transcrições: Beatriz Issler, Esther Neistein, Laís Rigatto Cadilo, Raissa Alonso, Lunara Moreira, Lunara Moreira, Samara Konno, Daniel Loeb (colaborador)

Transcriações: Profa. Dra. Maria Luiza Tucci Carneiro

Pesquisas complementares: Blima Lober, Claúdia Heinemann (AN) e Profa. Tucci Carneiro

Iconografia: Nanci do Nascimento e Samara Konno

Arquivo/documentos, Notícias, Biblioteca: Laura Lemmi Di Natale

Livros de Memórias: Lunara Moreira e Laura Lemmi Di Natale

Intelectuais: Carol Colffield e Profa. Tucci Carneiro

Artistas: Sandra Becker e Profa. Tucci Carneiro

TI - Base de Dados: Denis Bevenuto

Oficinas de Teatro, Desenho: Leslie Marko, Carol Colffield e Profa. Tucci

Newsletter Arqshoah: Lunara Moreira, Beatriz Issler e Blima Lorber 

Pesquisas complementares: Blima Lober, Claúdia Beatriz Heynemann (AN) e Profa. Tucci Carneiro

 

Arquivo Nacional / Rio de Janeiro

Coordenadora de pesquisa: Profa. Dra. Claúdia Beatriz Heinemann

Estagiários: Landirléya dos Reis Silva, Mariana L. Moraes e Vivianne de Medeiros Marcelino

 

 

 

Pesquisadores 2017 

 

Ana Beatriz Issler Pinheiro Machado
Estudante de jornalismo na Faculdade Cásper Líbero, do período matutino, participou de atividades extra-curriculares no curso: repórter e produtora do programa da TV Gazeta, Edição Extra e trabalhou ao lado do grande jornalista Goulart de Andrade no programa Vem Comigo, no qual foi repórter e editora em matéria sobre animais exóticos. Além de experiência com audiovisual, também participou de três edições da revista semestral Esquinas, órgão laboratorial da Cásper. Estagiou num portal de notícias, adquirindo experiência em mídias e redes sociais para conteúdo jornalístico. Participa voluntariamente do Fala! Universidades, jornal feito exclusivamente por universítários para circulação interna e de sua versão online, na qual realizou junto a uma colega uma série com oito reportagens em vídeo sobre os times de todos os esportes da faculdade. Aspirante a fotógrafa e filmmaker. Conhecimento no pacote Adobe, principalmente voltado para fotografia e edição de vídeo.

 

Blima Rajzla Lorber 
Jornalista profissional – Universidade Federal do Paraná/Brigham Young University (Estados Unidos). Jornalista freelance, atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Estado da Fazenda/ Secretaria de Estado da Comunicação Social, Paraná; assessora de imprensa da Coordenadoria de Proteção e Defesa do Consumidor - PROCON-PR.  É tradutora português/inglês e inglês/português. Especialista em Modificabilidade Estrutural Cognitiva pelo Hadassah-Wizo-Canada Research Institute - Deichter Center- Besner Foundation, Jerusalém, Israel. Colaboradora e tradutora do inglês/português para o jornal “Visão Judaica”, Curitiba, Paraná. É coautora do livro “As Catorze Vidas de David: o menino que tinha nome de rei”, biografia do sobrevivente do Holocausto David Lorber Rolnik, publicado em 2012, Editora Sefer, São Paulo. Organizadora e revisora do livro “Os Abismos”, da sobrevivente Malka Lorber Rolnik, publicado em 1990, Montana, Curitiba. É pesquisadora de temas relacionados ao Holocausto para o site americano www.chelm.freeyellow.com ; pesquisadora colaboradora do LEER para o projeto Vozes do Holocausto, desenvolvido junto ao Núcleo de Estudos Arqshoah, Universidade de São Paulo; pesquisadora de documentos dos períodos anterior, durante e pós Holocausto para entidades internacionais e pessoas físicas. Administra os seguintes grupos na mídia social: “Educação sobre o Holocausto”, “Grandchildren of Holocaust Survivors” e “Jewish Polish Ancestry”.

 

Carol Colffield
Arquiteta e Urbanista graduada pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo (1990); historiadora e tradutora (inglês, francês, italiano, espanhol, alemão e português); Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos Judaicos (FFLCH/USP) com a dissertação O Holocausto nos Livros Didáticos Brasileiros. Realidades e Alternativas (2016); Scholar in-residence do Programa para o Desenvolvimento de Currículo em Antissemitismo Crítico organizado pelo Institute for the Study of Antisemitism and Policy - ISGAP (Universidade de Oxford, Reino Unido, 2015); Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Integração da América Latina (PROLAM/USP) com a dissertação Crise Internacional e Organização Territorial: Tendências Recentes da Urbanização na América Latina (1995).  Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Estudos Judaicos (FFLCH/USP). Pesquisadora do Núcleo de Estudos Arqshoah/LEER-USP. Temas: Antissemitismo, Holocausto, Refugiados, Genocídio, Memória, Educação.

 

Claudia Beatriz Heynemann
Doutora em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000) e mestre em História Social da Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1993). Tem experiência na área de História, atuando principalmente nos temas: História do Brasil, História Moderna e Contemporânea e História das ideias, assim como na área de difusão cultural e história da fotografia. Curadora e pesquisadora em diversas exposições é Supervisora de Pesquisa no Arquivo Nacional e editora do site O Arquivo Nacional e a história luso-brasileira. Entre outros títulos publicados destacam-se os livros Floresta da Tijuca: natureza e civilização, 1994; As culturas do Brasil (2010); e a organização com Maria do Carmo T. Rainho de Retratos Modernos, 2005; Marcas do Progresso 2009 e com Maria do Carmo T. Rainho e Jurandir Malerba de Festas Chilenas: sociabilidade e política no Rio de Janeiro no ocaso do Império (2014). Desde 2015 é membro e coordenadora da linha de pesquisa Patrimônio visual, do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre Imagem e Memória - NEEIM, do LEER/USP e desde 2017 integra o Núcleo de Estudos Arqshoah do LEER/USP participando, pelo Arquivo Nacional, do projeto Vozes do Holocausto.

 

Daniel Renato Loeb
Formado em Psicologia nas Faculdades Metropolitanas Unidas- FMU (1991), com 3 (três) anos experiência como analista online em Rede de Informações com atendimento via Internet, telefônico e presencial aos usuários da Rede, realizando pesquisa sobre temas referentes a área da deficiência ligados à deficiência, inclusão, educação; cadastramento de entidades, elaboração e compilação de relatórios estatísticos, organização de arquivos e documentos, produção de clipping. Com 6 (seis) anos de experiência em atendimento psicoterapeutico em consultório particular como psicólogo autônomo, e 12 (doze) anos como técnico voluntário, sendo membro fundador de uma ONG, Frequentou cursos extra-curriculares: de atendimento ao Cliente (Senai) com o patrocínio da FEBRABAN; Especialização na Abordagem Centrada na Pessoa- Instituto Sedes Sapientiae/São Paulo (1993-1994); Introdução ao Psicodiagnóstico Miocinético, ministrado pela psicóloga Maria Inês José Stella/ 1990, dentre outros. Membro fundador do Centro de Vida Independente Araci Nallin em 27 de abril de 1996, Ong constituída e coordenada por pessoas com deficiência; Para-atleta – (cavaleiro) – Campeão Brasileiro e Sul-Americano em 2003; Campeão Brasileiro em 2004, Campeão Paulista em 2005. Pesquisador colaborador da Núcleo de Estudos Arqshoah, desde novembro de 2011, sendo responsável pela transcrição de testemunhos de sobreviventes gravados em vídeo. Atualmente pesquisador do projeto Vozes do Holocausto. 

 

Emil Eskenazy Lewinger
Engenheiro Químico pela USP (1988), Bacharel em Filosofia pela USP (2008), atualmente é mestrando em Estudos Judaicos pelo departamento de letras orientais da USP. Consultor Organizacional desde 1989, foi gerente, diretor e sócio de diversas empresas multinacionais de consultoria. Em 2004, distanciou-se da vida corporativa para se dedicar aos estudos e desde 2012 pesquisa a história do judaísmo na Europa Oriental, principalmente nos países que formavam a antiga Iugoslávia. É fluente em Inglês e Espanhol e fala Hebraico, Francês, Italiano e Servo-Croata. Colabora com uma ampla rede de estudos em historia familiar judaica, incluindo pesquisadores da Sérvia, Croácia, Itália, Israel, Holanda, Portugal, Brasil e Estados Unidos. É moderador do fórum JUPROG, Judaísmo Progressista, que hoje inclui quase 1.000 colaboradores no Brasil e no exterior.

 

Esther Regina Neistein
Psicóloga pela Universidade de São Paulo em 1989. Pós-graduada em Psicologia Social pela Sociedade Brasileira de Dinâmica dos Grupos em parceria com Faculdades Monteiro Lobato em Porto Alegre, RS em 2013.
Iniciou sua vida profissional como educadora em escola de educação infantil. Por 12 anos foi orientadora educacional em escolas de grande porte em São Paulo e Cotia. Participou da implementação do Programa de Educação Inclusiva da rede municipal de ensino de Santo André como psicóloga do Centro de Apoio e Desenvolvimento para pessoas com necessidades especiais.  Atualmente é pesquisadora do Projeto Vozes  do Holocausto 2017 sendo responsável pelas transcrições das entrevistas com sobreviventes do Holocausto e refugiados do nazismo radicados no Brasil, e pesquisas complementares aos textos. Desde 10.01.2017 atua como bolsista do projeto Vozes do Holocausto 2017 com bolsa concedida pela B’nai B’rith e LEER.

 

Fernanda Capri
Doutoranda em História Social pela Universidade de São Paulo – USP, mestrado em Letras e Ciências Humanas (2012) pela Universidade do Grande Rio – UNIGRANRIO, graduada em Arquivologia (2002) e em História (2015) pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO. Atua como paleógrafa da Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ, pesquisador associado – Laboratório de Estudos de Imigração/LABIMI-UERJ e técnico em arquivo da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Desde janeiro de 2016, contribui como Pesquisadora do projeto Vozes do Holocausto 2. Tem experiência na área de História, com ênfase em Memória e História Oral, atuando principalmente nos seguintes temas: cemitérios, cemitérios israelitas, morte e o morrer judaicos e cristãos, transcrição paleográfica, devoções marginais, judeus de Nilópolis, judeus, Nilópolis, cultura judaica e cidade. 
Link para Lattes.

 

Laís Rigatto Cardilo
Laís Rigatto Cardilo é mestranda em Direitos Humanos pela Faculdade de Direito da Universidade de São (FD-USP) com pesquisa sobre a condição jurídica e humana de pessoas apátridas vivendo no Brasil. Graduada em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP), desde 2011 atua junto ao projeto Arqshoah como integrante do Grupo de História Oral, realizando junto aos outros pesquisadores entrevistas com sobreviventes do Holocausto e refugiados do Nazifascismo no Brasil. 
Link para Lattes.

 

Landirléya dos Reis Silva
Estudante de licenciatura e bacharelado na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Estagiou na Escola Municipal Marechal Trompowsky, no CIEP Mário Quintana onde auxiliou na elaboração da feira Escolar com tema referente à Consciência Negra, no Colégio de Aplicação da UERJ e no Arquivo Nacional no projeto “Entrada de estrangeiros no Brasil”. Apresentou as comunicações de iniciação científica “O outro pé da sereia: ou seria a outra cauda?” em 2015 e “Africanização das escolas de samba do Rio de Janeiro para compreender o conceito de negritude”, na XI Semana de História Política da UERJ em 2016, além de ser membro do Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais  (LEDDES) da UERJ da linha de pesquisa África. Desde 2017 participa do projeto Vozes do Holocausto do LEER/USP – Arquivo Nacional.

 

Laura Lemmi Di Natale
Laura Lemmi Di Natale é bacharela e licenciada em História pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (USP) e graduanda em Letras, habilitação Alemão/Português, pela mesma faculdade. Desde maio de 2009 atua no Laboratório de Estudos de Etnicidade, Racismo e Discriminação (LEER), no projeto Arquivo Virtual sobre o Holocausto (Arqshoah), sob a supervisão da Profa. Dra. Maria Luiza Tucci Carneiro, na Universidade de São Paulo. Realiza o armazenamento, organização e catalogação de cópias documentais da década de 1920 a 1950. Também faz revisão dos textos que serão inseridos e publicados no site arqshoah.com, além de ser responsável pela inserção de notícias e bibliografias referentes ao tema do Holocausto, sobreviventes, refugiados, nazifascismo etc. Já auxiliou na transcrição de entrevistas de sobreviventes do Holocausto que se refugiaram no Brasil, além de fazer pesquisas no Arquivo Nacional do Rio de Janeiro junto aos fundos "Fichas Consulares de Imigração" e "Processos de Naturalização".

 

Lunara Laísa Moreira Alves
Bacharela em Comunicação Social (Habilitação em Jornalismo), pela Universidade Federal da Paraíba, desde dezembro/2015. Durante o curso, somou experiências na área, incluindo produção e redação de matérias jornalísticas, assessoria de comunicação e execução de projetos midiáticos nas redes sociais. De setembro/2014 a fevereiro/2015, cursou Jornalismo na Universidade de Coimbra (UC), em Portugal, e finalizou a graduação com uma análise da construção do discurso neonazista representado em uma novela, que também foi apresentada em alguns eventos acadêmicos. Desde o dia 01.03.2017, atua como bolsista do Projeto Arqshoah - Vozes do Holocausto/2017, com bolsa outorgada pela B'nai B'rith e LEER, desenvolvendo as seguintes atividades: transcrição de testemunhos de sobreviventes do Holocausto e refugiados do nazismo radicados no Brasil; auxílio nas pesquisas históricas e iconográficas; produção de um boletim informativo (newsletter) divulgando as pesquisas e publicações do projeto, e monitoramento das redes sociais.

 

Maria Celma Borges
Licenciada em História, na Universidade Estadual de Maringá-UEM, em 1993. Mestre e Doutora em História e Sociedade, pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita”, Assis, entre o período de 1994 a 2004. Pós-Doutora em História pela Universidade Federal Fluminense, em 2014. É docente no curso de História da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus de Três Lagoas, desde 1998. Trabalha com os temas: história e memória dos movimentos sociais no campo; pobres e livres, escravizados e povos originários na América portuguesa e Império – entre o norte e o sul de Mato Grosso; história rural; história da doença, entre outros. Dentre as publicações em periódicos e livros destaca-se, em 2010, pela Editora Annablume, o livro “O desejo do roçado: práticas e representações camponesas no Pontal do Paranapanema – SP”, e em 2017, pela Editora CRV, “Movimentos sociais nos campos do Pontal do Paranapanema: de posseiros a assentados”.

 

Maria Luiza Tucci Carneiro
Historiadora e Professora Livre Docente  do Depto. de História da FFLCH- Universidade de São Paulo. Desde 2013 é Pesquisadora CNPq- Bolsa de Produtividade Nível 1 (desde 2013) e Nível 2 (desde 1999), credenciada junto aos Programas de Pós Graduação em: História Social (DH-FFLCH); Estudos Judaicos (DLO); e Direitos Humanos (Fac. Direito S. Francisco/USP). Entre 1999-2011, coordenou dois projetos temáticos Fapesp junto  ao  PROIN-  Projeto  Integrado Arquivo/Universidade:  1) Inventário  DEOPS/SP;  2)Arquivos da Repressão e da Resistência. Desde 2006 é coordenadora do LEER- Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação/USP, onde coordena o Núcleo de Estudos  Arqshoah, com os  projetos: Arquivo  Virtual Sobre Holocausto e Antissemitismo; De apátrida à cidadão brasileiro; Vozes do Holocausto I e II (em andamento). Autora dos livros: Dez Mitos sobre os Judeus (Ateliê Editorial, 2014; Madrid, Cátedra, Trad. Carol Colffied, 2016); Welbürger. Brasilien und die Júdischen Flüchtlinge, 1933-1948. Trad. Marlen Eckl (Berlim: Lit Verlag; Fapesp); Brasil Judaico, Mosaico de Nacionalidades ( Maayanot, 2013); As Doenças e os Medos Sociais,  organizado com Yara Monteiro (Unifest, 2013);  Tempos de Fascismos, organizado com Federico Croci (Edusp; Fapesp, 2010- Prêmio Jabuti); I Cidadão do Mundo. O Brasil Diante do Holocausto e dos Refugiados do Nazifascismo, 1933-1948, 3ed. ( Perspectiva; Fapesp, 2010; L’ Harmattan, Trad. Marie Jô Ferreira, 2016); O Anti-semitismo nas Américas (Org.-  Edusp, Fapesp, 2007); Preconceito Racial em Portugal e Brasil Colônia. Os Cristãos-novos e o Mito da Pureza de Sangue. 3ed. (Perspectiva, 2005); Judeus e Judaísmo na Obra de Lasar Segall, em co-autoria com Celso Lafer ( Ateliê Editorial, 2004); Imprensa Confiscada pelo Deops, 1924-1954, organizado com Boris Kossoy ( Ateliê Editorial; Imprensa Oficial, Arquivo Público do Estado, 2003- Prêmio Jabuti 2004); O  Veneno  da  Serpente:  Reflexões  sobre  o  Anti-semitismo no Brasil. São Paulo: Perspectiva, 2003);  O  Olhar  Europeu:  O  Negro  na  Iconografia  do  século  XIX,  em  co-autoria com Boris Kossoy. 2ª ed (Edusp, 2002- Prêmio Jabuti 1994); O Anti-semitismo na Era Vargas: fantasmas de uma geração (l930-l945), 3ed. ( Perspectiva. 2001).

 

Mariana Lima Moraes
Advogada formada pela Universidade Candido Mendes desde 2008 e pós graduada em Processo Civil pela Universidade Cândido Mendes – Instituto A Vez do Mestre desde 2011. Estudante de licenciatura em história na Universidade Estácio de Sá, no período noturno. Participou da iniciação científica associada ao projeto “Censura, Diversão e Arte: Produção cinematográfica durante o a ditadura civil militar brasileira” – CNPq – de agosto de 2015 a julho de 2016; apresentação do trabalho “A censura e a imprensa - como os jornais e revistas retratavam a censura durante a ditadura militar” nas XIII e XIV Jornada de História da Universidade Estácio de Sá: apresentação de palestra no VIII Seminário de Pesquisa da Estácio e IV Jornada de Iniciação Científica da Unesa.  Foi estagiária do Arquivo Histórico do Exército e da Rede Ferroviária desenvolvendo atividades de análise e organização de documentos.

 

Nanci Nascimento de Souza
Mestre em Língua Hebraica, Literatura e Cultura Judaicas. FFLCH - Universidade de São Paulo. Projeto de Mestrado "Gueto de Varsóvia: Educação clandestina e resistência". Curso concluído em 03/06/2013, com tema inédito e em fase de publicação para 2017. Atuou em 2011, como pesquisadora do Centro de Documentação do Memorial da Sinagoga (sob a coordenação da profa. Dra. Maria Luiza Tucci Carneiro) e pesquisadora do LEER/ Arqshoah. Participou como pesquisadora do LEER junto a Linha de Pesquisa História e Memórias do Holocausto e do Anti-semitismo no Brasil, onde participa do projeto De apátrida à cidadão brasileiro: trajetória de vida dos judeus refugiados do nazifacismo no Brasil, 1933-1960", subvencionado pela Fapesp, coordenado pela professora Dra. Maria Luiza Tucci Carneiro. Fez parte da equipe de Pesquisa Iconográfica publicada no livro citado sob o título: Recordações dos Primórdios da Imigração Judaica em S. Paulo. 1. ed. São Paulo: Maayanot, 2013. v. 1. 230 p. [ISBN:978-85-85512-047-5]). Obra organizada e coordenada pela Profa. Dra. Maria Luiza Tucci Carneiro.
Atualmente trabalha no Departamento de Educação, coordenado pela Profa Cecilia Ben David, na Unibes Cultural, e como pesquisadora de acervo Iconográfico do Projeto de pesquisa Travessias: Narrativas e Representações dos artistas e intelectuais refugiados do nazifascismo, sob a coordenação da Profa. Dra. Maria Luiza Tucci Carneiro. Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação, LEER/USP/FAPESP - Brasil.

 

Rachel Mizrahi
Mestre e Doutora em História Social pelo FFLCH da USP
Livros publicados: Miguel Telles da Costa - O capitão mor Judaizante de Paraty Ed Maayanot, 2015 2a ed. Coleção Brasil Judaico. Imigrantes Judeus do Oriente Médio São Palo e Rio de Janeiro. São Paulo: Atelie Editorial, Coleção Brasil Judaico. Lembranças....Presente do Passado. São Paulo: Smukler/Hebraica, 1996. CONFARAD II Congresso Sefaradi (ORG) A presença dos judeus sefaradis e orientais na cltura brasileira. São Paulo 2001; Do Mascate ao Empreendedor - Uma familia da Antiga Mooca. São Paulo:copy. Mayer Mizrahi: copyright, 2008. Pesquisadora Dra. Do Arqshoah - Arquivo Virtual sobre o Holocausto e Antissemitismo do LEER - LABORATÓRIO DE ESTUDOS SOBRE ETNICIDADE, RACISMO DA USP.

 

Raíssa Alonso
Raíssa Alonso é bacharela e licenciada em História pela Universidade de São Paulo. Desde 2014, atua como pesquisadora-colaboradora do Arquivo Virtual sobre o Holocausto e Antissemitismo (ArqShoah), projeto do Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação (Leer/USP). É mestranda no programa de pós-graduação em História Social pela Universidade de São Paulo, sob orientação da professora Maria Luiza Tucci Carneiro. Seu tema de pesquisa é sobre os núcleos de resistência ao nazifascismo formados dentro das comunidades alemã, austríaca e francesa no Brasil durante o período Vargas.

 

Samara Konno
Samara Konno é graduada em Ciências Sociais (UNESP-Marilia) e mestra em Estudos Culturais (EACH-USP). É pesquisadora do Laboratório de Estudos de Etnicidade, Racismo e Discriminação (LEER - USP) desde 2012, atuando no projeto Arquivo Virtual de Histórias Migrantes entre 2012-2015 sob coordenação do Prof. Sedi Hirano e no projeto Vozes do Holocausto desde 2015 sob coordenação da Prof. Maria Luiza Tucci Carneiro. Atua com projetos de extensão na área de Sociologia/Antropologia Urbana e possui interesse em pesquisas relacionadas à cultura japonesa; imigração; etnicidade e religião.

 

Sandra Bancovsky Becker
Mestre em Produção, Teoria e Critica em Artes Visuais pela FASM Faculdade santa Marcelina (2006) e graduação em Artes Plásticas pela mesma (2000). Participou de núcleos de pesquisa com a Profa. Dra. Mirtes Marins – Fotografia e Arte Contemporânea (2005) e com a Profa. Dra. Shirley Paes Leme – Mix Media. Faz parte do corpo docente da ESAMC – Escola Superior de Marketing e Comunicação (desde 2010), como professora de Historia da Arte, Historia do Design, Plástica e Desenho Aplicado. Desde 2016 atua como colaboradora nas historias de vida dos artistas plásticos sobreviventes do Holocausto no Núcleo de Estudos Arqshoah do LEER/USP participando, pelo Arquivo Nacional, do projeto Vozes do Holocausto. 

 

Sarita Mucincic Sarue
Graduada  em Pedagogia pela Universidade Mackenzie de São Paulo e Mestre pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Sociais da Universidade São Paulo, onde apresentou sua dissertação com o título Janusz Korczak diante do Sionismo. Desde  1982  atua como professora de educação judaica formal e informal  e atualmente é professora de Cultura Judaica dos 1º e 2º anos do ensino médio da Escola Alef em Paraisópolis. Integra a equipe de pesquisadores do LEER- Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação e Arqshoah- Arquivo virtual da Shoah, do Departamento de História, coordenado pela Profa. Dra. Maria Luiza Tucci Carneiro. Atuando junto ao Núcleo de História Oral sob coordenação  da  Profa. Dra. Rachel Mizrahi.  Em 2015, publicou o livro Vozes de Paz em tempos de guerra: Janusz Korczak diante da criança , do sionismo, do nazismo e do holocausto, pela Editora Humanitas com apoio da FAPESP. Membro da diretoria  da Associação Janusz Korczak do Brasil desde 2014.

 

Vivianne de Medeiros Marcelino
Estudante de História na Universidade Federal do Rio de Janeiro participou dos laboratórios de Laboratório PEA (UFRJ) e Laboratório de Sacralidades (UFRJ). Pesquisa o tema "Estrangeiros em Portugal (1791-1801)" para seu projeto de monografia. Desde março de 2017 pesquisa no Arquivo Nacional com bolsa concedida pela B'nai B'rith e LEER.